Que todo mundo ama um churrasco, nós já sabemos! Mas, para fazer um churrasco de qualidade, é preciso ir além de arrasar na grelha e envolve, desde a escolha da carne, até a do carvão.

Dica 1: Escolha dos cortes
Escolher os cortes bovinos é uma tarefa difícil considerando a quantidade e diversidade de deliciosos sabores que cada corte oferece. Mas, para o churrasco de hoje, vamos falar dos cortes conhecidos como nobres. Vamos lá?

Filé Mignon
O filé mignon é localizado na parte traseira do animal, em uma região de pouco movimento, o que proporciona muita maciez, não é à toa que é considerado o corte mais macio. Consiste em uma peça de cerca de dois quilos, sendo magra, sem nervos, com pouco marmoreio, mas bem irrigada.

Picanha:
Picanha, a estrela do churrasco, fica no início do coxão duro e não pertence a alcatra. Diferente do que muitos acreditam a peça não precisa ter até 1,3 kg. Isso porque o tamanho da picanha varia conforme o tamanho da carcaça do animal e outros fatores como tipo de produção e genética do animal. Prefira as que tenha cerca de sete centímetros de altura. Ela deve ter a capa de gordura, que deve ser uniforme, sem falhas, com pelo menos 1 cm de altura.

Short Rib:
O short rib é um corte localizado na costela dianteira, e retirado junto com o miolo de acém. Possui um alto nível de marmoreio e sabor acentuado. Corte dianteiro é bom? Sim! Estamos vivendo a “Revolução do Dianteiro”. Os cortes do dianteiro, como o short ribs o perfil de fibra do short rib é diferente dos tradicionais, pois é rico em fibra vermelha.

Leave a Reply

Your email address will not be published.